71 2106-3535
71 2106-3535

Notícias

Home Notícias

A importância da vacinação na saúde do trabalhador

Segundo um levantamento realizado por órgãos internacionais 76% das pessoas não completam os calendários básicos de vacinação, isso sem levar em conta os reforços de algumas vacinas que devem ser feitos durante a vida e as novas vacinas criadas.

A falta da cultura vacinal no adulto tem aumentado as taxas de adoecimento e trazendo de volta algumas doenças erradicadas ou que tinham sua ocorrência controlada.

Vacina é uma substância criada a partir de partículas de vírus ou bactérias mortos ou inativados afim de produzir imunidade adquirida para determinada doença, estimulando a produção de anticorpos que em contato com o microorganismo causador de doenças o reconhece e o destrói.

A administração de vacinas tem sido estudada de forma ampla e é considerada o método mais barato e eficaz de proteção que existe.

De acordo com as Normas Reguladoras de Saúde e Segurança do Trabalho (NR’s), são indicadas vacinas para todos os colaboradores das empresas através do PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional). As indicações são feitas de acordo com o risco que os colaboradores estão expostos conforme as atividades que desempenham.

A NR32 que trata mais especificamente da vacinação do trabalhador de saúde informa que a todo trabalhador deve ser oferecido gratuitamente programa de imunização contra tétano, difteria, hepatite B e os estabelecidos no PCMSO. Sempre que houver vacinas eficazes contra outros agentes biológicos a que os trabalhadores estão ou poderão estar expostos, o empregador deverá oferecê-las gratuitamente, mesmo que elas não estajam disponíveis no SUS.

O empregador deverá realizar o controle da eficácia da vacinação sempre que for recomendado pelo Ministério da Saúde e seus órgãos, e providenciar, se necessário, seus reforços. A vacinação deve ser registrado no prontuário clínico individual do colaborador, conforme previsto na NR 07.

Há que se lembrar que de acordo com o que dispõe a NR 32 e a Portaria do Ministério da Saúde nº 597, de 08/04/2004, são obrigatórias as seguintes vacinas aos trabalhadores nos serviços de saúde:

- Hepatite B, Tétano e Difteria, Influenza, Tríplice Viral, Febre Amarela, Pneumocócica, Varicela, Hepatite A e Febre Tifóide.

Existem 3 formas de serem realizadas as vacinações dos colaboradores: campanha na própria empresa, seja realizada por unidade do SUS ou clínica particular de vacinação; encaminhamento do colaborador para rede pública e/ou clínicas particulares ou ainda o serviço de saúde da empresa solicitar credenciamento junto à Anvisa, obedecendo as portarias.

A vacinação é uma das principais ferramentas de saúde ocupacional, pois ajuda na diminuição do absenteísmo e presenteísmo por motivo de saúde e melhoria na qualidade de vida dos colaboradores. Além disso essas ações são percebidas pelos funcionários como benefícios concedidos pela empresa.

Teixeira, Tharita (2018)

Calendário de Vacinação Ocupacional da Sociedade Brasileira de Imunizações SBIm 2018/2019:

https://sbim.org.br/images/calendarios/calend-sbim-ocupacional.pdf